Páginas

quarta-feira, 20 de março de 2013

Maluco beleza






Muitas pessoas me perguntam sobre como é estar entubada, se me lembrava de algo, um dos médicos e uma médica que foi responsável pelo procedimento também me fez a mesma pergunta.

Essa médica, um dia depois que sai da entubação se sentou junto a mim  para explicar os procedimentos que havia feito e me olhando  disse: 

- O que você se lembra?

-Sobre a entubação? Não me lembro de nada, só me lembro quando você disse que iria me entubar e pedi para ver meus filhos antes.

- Não exatamente, mas sobre o período de entubamento.

Eu fiquei em surpresa com a pergunta e ela parece ter notado.

- Quando se entuba alguém existe um cuidado para se manter o  equilíbrio das funções vitais do paciente de modo que ele não fique numa zona muito confortável e não volte, mas a medicina ainda não sabe porque alguns não sobrevivem.

Olhei para ela e disse:

- Não é tão confortável assim...., mas não sei se você acredita.

Minha voz ainda era muito fraca, baixa e ela aproximou mais a cadeira para perto de mim.

- Como assim?

- Existe uma luta, existem forças, eu tive que brigar muito. Eu não senti dor alguma, o que foi um grande alivio, entrei em alfa, tinha momentos de grande relaxamento, me via entubada, viajava para estar com meus filhos , minha mãe, minha irmã.e me sentia fortalecida. Vi lugares que não conhecia, lugares lindos, de luz, sol, o mar ( que eu amo), mas havia também algumas mãos, mãos ansiosas,maldosas que queriam me tocar, eu me contorcia para que elas não encostassem em mim, pois eu sentia que se elas me tocassem ou se eu desse a mão a elas eu iria para um lugar que eu percebia não ser bom para mim, então eu brigava com elas e gritava algumas vezes dizendo para que não me tocassem, que eu não iria a lugar algum com elas, que não havia lutado tanto para ir com aquelas mãos, não com aquelas, eu vigiava o tempo todo.

Parecia dias para mim e então num momento eu vi uma mão feminina, ela estava pousada tranquilamente e em nenhum momento se estendeu para mim como as outras, tinha uma pequena mancha de sangue .Contemplei essa mão e me deu uma sensação de alivio, conforto e sobretudo segurança e então pensei:- Vou com esta mão. Pousei minha mão esquerda sobre ela e a próxima coisa que me lembro foi a senhora, doutora, me chamando dizendo que ia tirar o tubo.

Olhei para ela e vi que não somente eu havia chorado e então ela me contou sobre o câncer de sua mãe e sua experiência espiritual depois disto, nenhuma de nós pertencemos a nenhuma religião específica, como boa católica brasileira sou curiosa.

O que eu sei é que não é tão confortável assim e que eu lutei sim, não para não morrer, mas para não ir por caminhos que eu sabia seriam  ruins para mim..

Alguns dizem que foram resultado dos remédios, da sedação, eu acho que foi mágico, lindo e tranquilo.


Postar um comentário