Páginas

sábado, 26 de janeiro de 2013

cirurgia feita

Depois da última quimio, a décima, minha médica sinalizou  que era hora de fazer o PET SCAN e se preparar para ir em busca do cirurgião no Hospital AC Camargo.

Fiz o Pet que mostrou redução dos nódulos para milímetros e nenhuma metástase. Munida desse resultado fui para São Paulo ser atendida pelo dr Ranyell, médico recomendado pela minha onco.Tive que pagar 700,00 na consulta, pois o convênio não cobria, quem tem pai e mãe tem tudo e então lá fui eu.

O doutor constatou que de fato eu possuía o perfil para fazer a cirurgia delicada, nenhuma doença crônica, salvo o câncer, sem metástase e com resultados positivos na quimio com a redução dos tumores.Marcou a cirurgia para o dia 14 de Dezembro de 2012 e me explicou que seria uma cirurgia longa, cerca de 14 horas. Eu tinha cerca de 03 semanas para fazer todos os exames pré-operatórios e pedir autorização do convênio.

Tudo preparado, todos os exames deram ok e até o convênio aprovou a cirurgia, fui para o hospital no dia 13.

Fui inquieta, fui com medo, não de morrer, mas de sofrer, de ter dor, mas fui, afinal eu me preparei para esse momento por longos oito meses, seja o que for, seria.

Ao 12h30,( hora de almoço) do dia 14 fui para o Centro cirúrgico,  minha filha me disse que as 3h30 da madrugada do dia 15 a cirurgia acabou e o médico veio lhe dizer que tudo estava bem.


A partir dai, virou um pesadelo, dor, muita dor, eu simplesmente não consegui me recuperar.Assim que acabou o efeito da anestesia fui colocada ao lado de um senhor que gritava, gritava e batia no leito, eu, sob efeito da anestesia pensei que tinha morrido e estava no inferno ( minha criação católica me dizia que eu não fui uma boa menina ;) ). A sensação era tão real que aquilo desolou meu coração,eu estava cansada, dolorida e ainda ouvia gritos vindo dos infernos.....

Quando finalmente conseguiram acalmar o homem alguém se lembrou de me dizer que eu tinha sido operada e estava bem, só que ai o estrago já estava feito senti a asma encher meu peito e não conseguia falar.

Resumo: meu pulmão resolveu dar pane e começou a falhar, tive que ser entubada e permaneci assim por sete dias. Vivi coisas incríveis neste período, um dia eu conto.

Mas enfim, depois de 22 dias de UTI voltei para casa. A cirurgia? Um sucesso. Meu corajoso médico retirou tudo o que foi encontrado, dos 62 linfonodos retirados somente 01 estava ativo e encapsulado.

O prognóstico é a cura. Até agora tudo bem!!!!!!!





Postar um comentário