Páginas

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Vaidade

Quando eu era criança eu observava que todos os dias, no final da tarde, minha avó se banhava,se perfumava, passava pó, um batom bem clarinho, um vestido cheiroso e colocava um  colarzinho de pérolas. Feito isso ela esperava o amor de sua vida, meu avô.

 De observar aprendi.Mal sabia eu como sua atitude me serviria nesse tempo de quimio, a vaidade por ela em mim despertada me faz estar sempre maquiada em tempos onde faltam sobrancelhas, cilios e cabelos.Todos os dias,me banho, me visto, escolho um lenço , me maqueio e me acho linda.





Quando acabaram as quimios na primeira fase em 2011 corri para Lins, queria voltar as minhas origens, me fortalecer nos braços daqueles que iniciaram essa história da minha vida.

Quando lá cheguei minha vó achou lindo meus parcos cabelos que eu exibia como se fosse uma basta cabeleira e fomos tirar fotos, instintivamente tirei o batom da bolsa e ela já foi logo avisando: - Eu também quero!!!! Eu então a maquiei e ela me perguntou se estava bonita e eu respondi : - Linda, como sempre!!!! Me retoquei e minha irmã tirou a foto da produção.



Antes das fotos,.Linda como sempre!


Recebendo amor e apoio o que nunca me faltou.


Quando ela estava partindo continuei no mesmo ritual, pois depois do câncer, a morte não me assusta mais, mas isso vale um post à parte, eu sabia que ela estava indo, não existia desespero em mim, só saudades.

Minha irmã me contou que alguns meses antes dela partir, quando estava pintando suas unhas ela fez minha irmã prometer que cuidaria de sua aparência quando morresse. Minha irmã, comovida disse que sim, e foi o que ela fez, ela cuidou de sua aparência, como ela queria, vaidosa.

Também sou. Se vou à quimio, me arrumo toda, não vale a pena perder a saída.

Minha médica, quando a conheci era a coisa mais branca e sem graça que já vi, ela é bem novinha, parecia até que tinha câncer kkkkkk. Dois anos depois temos liberdade da convivência e nesse tempo ela passou a se maquiar, cortou o cabelo e foi muito honrada que a ouvi dizer que aprendeu comigo a estar sempre bem e presentear as pessoas com a nossa boa aparência, apesar de tudo.


Na quimio. Não se engane, muito difícil, mas há de fazer com  a cabeça erguida  e  maquiada!


Comemorando uma boa notícia
Em casa

Essa sou eu, neta de peixe, peixinha. mais uma que eu devo para a Dona Isabel!
Postar um comentário