Páginas

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Sonhos






Em Campinas, novamente em compasso de espera, as plaquetas baixas, o que fazer? Esperar, elas sobem com o tempo, mais cinco dias. Como ter paciência é a palavra chave para encarar tudo, paciência!

Hoje fui andar um pouco, aqui no Cambuí é um lugar muito gostoso de andar, tem ruazinhas que nem parecem que estamos bem no centro de Campinas, com correrias e carros. Enquanto andava fiquei pensando que sou muito privilegiada, andando sem compromisso pelas ruas cheias de ipês desprendendo suas flores que caiam sobre mim e formavam um tapete  acompanhando meu caminhar , não preciso correr, ganhar a vida, me estressar, posso caminhar sem horários, contemplar lugares e pessoas e enquanto caminhava pensava que isso foi uma coisa que  mudara  em mim, me senti tão privilegiada de andar com flores caindo do céu que me vieram lágrimas aos olhos.

Tenho um sentido diferente da vida, aquela ansiedade de "fazer" não existe mais, me tornei também pouco paciente com alguns tipos de conversas e situações em que pessoas se mostram rasas, despreparadas e pouco ciosas de olhar além de si mesma, principalmente com pessoas que já passaram dos vinte.

Não é fácil também tomar a rédea da sua vida, não das situações, que essas, Deus sabe, a muito não tenho mais, mas resgatar tudo o que sou, dos pensamentos que me fazem ser o que sou,não abrir mão de mim mesma, não me deixar fragilizar, mesmo que tudo contribua para isso, as mudanças, a situação financeira, o modo como as pessoas passam a te olhar. Eu ainda estou aqui, eu ainda existo, eu ainda possuo minha personalidade e sobretudo continuar a sonhar.


Sonhos, como projetos de vida, nos fazem humanos, eu parei de sonhar há muito tempo, eu não ousava, eu não queria me decepcionar e ainda não quero, então passei a ter sonhos pequenos, palpáveis, meu filho finalmente na faculdade ( esse sonho era enorme, mas sabia que ele poderia, se quisesse ) um desafio de desenho no mosaico,um livro que sempre quis ler, um cabelo menos trabalhoso, ter cabelos, um peso mais perto do "antes", uma caminhada sobre flores que caem na primavera. São meus pequenos sonhos realizados.

Quando estou no interior, mais interior ainda, perto há uma igreja, as 18h00 horas os sinos tocam e como não há prédios posso ver o sol se pondo, o final de um dia, um dia que vivi, produzi, cuidei, me alimentei fisicamente e espiritualmente e tudo isso é VIDA.

Encontrei um querido amigo de outro Estado por estes dias, um amigo querido, que compartilhou comigo seus sonhos, suas lutas e desilusões e ele me disse que não foi só comigo que alguns sonhos se tornaram reais e outros , ele teve que adaptar a uma nova realidade de professor de Universidade em um Estado onde não nasceu , um amor desfeito, a busca. Pensei sobretudo nisso: adaptar os sonhos a uma nova realidade, que grande conversa tivemos. 


Se escovados, SE  hahahaha, estão assim meus cabelos.


Postar um comentário