Páginas

terça-feira, 5 de julho de 2011

Hoje ganhei flores, ontem ganhei orações....








Queridas,


Minha irmãzinha, Elisah e amigas e amigos deste  blog


Depois de um período que andei muito triste com a ida da Elisah para Natal  ( RN) ,meu coração começa a sossegar e a ouvir tudo o que me disseram : ela está bem, está feliz e tudo dará certo e consigo agora me desvencilhar do meu egoismo e celebrar com ela seus sonhos.


Neste período de recuperação tive pessoas preciosas do meu lado.Minhas amigas queridas, minhas filhas maravilhosas. Como a tempestade deu um tempo ( Graças a Deus) todos foram cuidar da sua vida, pois a vida  não para.Nesse momento encontrei uma amiga querida com quem já  tinha trabalhado e ela tem sido minha companheira, enxugou minhas lágrimas da ausência da minha filha e caminhou comigo.Linda, brigada Vanessa querida.


Ontem, ainda muito triste , fomos caminhar e um grupo de pessoas se aproximou de nós e pediu para orar por mim, ainda que eu preferisse que o termo certo fosse " orarmos juntos" , aceitei e fiquei feliz de poder fazê-los se sentirem uteis e perto de Deus. Foi gratificante, apesar de meus pensamentos não serem iguais.


Hoje, melhor de espírito, fui fazer perícia médica. Passei  pela banca de flores, lindas como sempre.Ao sair a dona da banca me chamou, queria me ofertar flores.


Fiquei tão emocionada, pois ontem estava muito ruim e estava com raiva, pensava em tudo que essa porcaria de doença me tirou : pessoas que eu gostava que se afastaram de mim, meu emprego, meu amor, meus cabelos, o dia-a-dia normal, o sono, as lágrimas tantas derramadas.Não conseguia ver nada de bom, só tristeza. 


Hoje percebo que essa porcaria não me tirou nada, nem minha vida. O  tanto de pessoas que conheci depois dela e que tem ficado feliz comigo a cada dia de recuperação é maior do aquele que  se afastaram de mim.Meu emprego  está lá, esperando ( finjo que  tô de férias) , meus cabelos estão crescendo,o dia-a-dia vou redescobrindo de outro modo, o sono um dia vem e as lágrimas, essas com certeza vou continuar derramando, por infinitos motivos, mas menos. E o amor, foi lindo, foi gostoso e ainda vou entender o que houve.


Andar de lenço faz as pessoas olharem para mim e se verem humanas de novo, eu retiro delas sensações difíceis da  fragilidade humana e do tempo, mas também resgato o melhor do ser humano: sua capacidade de renovação, luta e superação e gestos como a da mulher da banca de flores me dizem: continue, por você e por mim, que também sou humana.


Meu coração começa a ficar sereno novamente.


É isto que queria dizer a vocês, mas precisava de tempo para enxergar sem lágrimas e de coração tranquilo para poder ouvir, pois suas batidas fortes não deixavam a mente falar.


Elisah, sua bandida !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Eu amo você meu amor.
Postar um comentário