Páginas

domingo, 22 de maio de 2011

Dores que sinto e nem sei como explicar!

Esta semana estava conversando com uma aluna de apenas 12 anos, e ela me dizia que a tia está com câncer de mama fazendo quimioterapia e que está carequinha e sofrendo muito ,pois tem que viajar para fazer a quimio o filho não entende que a mãe está doente e xinga toda hora e o marido quer deixá-la por não aguentar  a casa suja etc...
Minha primeira reação foi me dispor para conversar com ela e fazer uma sopinha quando ela for fazer a quimio, minha aluninha ficou de fazer o contato estou aguardando.
Mas o que me indigna mesmo nesta história e em outras que ouvi como a de uma moça de 28 anos dois filhos que o marido nem esperou a cirurgia a abandonou é está falta de caridade, de amor ao outro quer dizer, além da pessoa estar doente vamos combinar que doença!!!!E ter que perder parte de seu corpo, passar mal com o tratamento ainda se vê abandonada!!!Nós somos mães e precisamos educar nossos filhos principalmente homens para serem mais humanos, onde já se viu quer dizer que este homem abandona sua esposa porque ela é um peito!!!Sem o peito ela não existe???Não serve????Precisamos fazer alguma coisa para mudar isso!!!O câncer é um privilegio de alguns?Quer dizer ele está livre????
Minha irmã é testemunha que depois da minha cirurgia conversei com meu marido para que ele fosse viver a vida dele que eu agora não era mais nada e ele me mostrou que eu não era só um peito não, que por baixo desta mulher careca,sem peito,sem sobrancelha ainda está a a mulher que ele amou e ama,foi mais difícil para mim do que para ele.O que o atormentava era o medo de me perder e não das consequências do tratamento.Aprendi mais com meu marido do que esperava, na minha casa fomos criadas, as meninas para sermos fortes, trabalhar e cuidar da casa dos filhos e fazer bonito, então logo conclui se não posso fazer assim não sirvo para nada!!Foi um grande aprendizado ficar doente,aprendi a cuidar de mim, a ter paciência , mas tenho medos ainda para superar se meu marido não ficasse do meu lado não aguentaria tão bem.
Márcia 
Postar um comentário