Páginas

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Pensamento positivo,ânimo,fé....

Já comecei a ouvir criticas em relação a meu posicionamento em relação aos exames, não posso sair correndo por ai e dizer ACABOU, gostaria,mas não posso, ainda não acabou,existem exames e mais procedimentos a fazer, vamos ver o que meu corpo diz.Espero do fundo do coração que ele tenha a feliz idéia de reagir contra esse tumor que o atacou e largue a mão de ser bocó.

Quando em Setembro cheguei finalmente as mãos do Dr, Cesar Cabello, o tumor já havia se alastrado, minha barriga inchou, o ovário direito dóia e comprimia os outros orgãos, enfim, eu tinha um quadro muito grave.O tumor de ovário é silencioso,como a maioria dos cânceres seus sintomas podem se confundir,nunca tive cistos,nem  mioma e tive quatro filhos, três nascidos de parto normal,menstruação normal,nenhum sinal de menopausa, exames ginecologicos normais, a médica jamais pediu o ultravaginal.

O que mais me lembro deste período era que ,deste o médico que me atendeu no PS, até a ginecologista sempre disserem: Tudo vai dar certo! Porém seus olhos dizam o contrário.

Sei que naquele dia morri, pensei que era Gamer Over.Sem direito a créditos, sem direito a prorrogação, simplesmente assim: acabou.

Não lembro das maiorias  da coisas que o Dr. Cabello me disse. Lembro do desenho da cirurgia que ele fez num papel, grande do peito até quase a vagina, lembro de ele ter dito que seriam seis horas de cirurgia, lembro dele me dizer :- Você tem fé?Então ore. Eu vou te curar.

E então a quase certeza dos médicos que o corpo não reagiria as quimios, um corpo que aceita um ataque tão feroz, não pode ser um bom corpo,mas ele foi, reagiu e parece estar deixando de ser um bocó e ficou mais esperto.

Por isso eu digo ao meu corpo, REAJA, quando tomo banho passo a mão em meu corpo dolorido e imagino a cura e aguardo.....

Quando estava dirigindo ouvi no rádio do carro essa música, já a ouvi muitas vezes,mas nesse dia prestei atenção na letra: medo? dor?Eu conheço esses sentimentos demais ,hoje consigo cantá-la:


Ei, dor!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada...
Ei, medo!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada...

E se quiser saber
Pra onde eu vou
Pra onde tenha Sol
É pra lá que eu vou...

Ei, dor!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada, nada...
Ei, medo!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada, nada...

E se quiser saber
Pra onde eu vou
Pra onde tenha Sol
É pra lá que eu vou...
E se quiser saber
Pra onde eu vou
Pra onde tenha Sol
É pra lá que eu vou...

Dor!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada, nada...
Medo!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada, nada...

E se quiser saber
Pra onde eu vou
Pra onde tenha Sol
É pra lá que eu vou...
Postar um comentário